10 tendências do varejo para 2021 que você precisa ficar atento

As tendências do varejo para 2021 e para os próximos anos envolvem tecnologia e relacionamento com o consumidor. O seu negócio está preparado para isso?

Para acompanhar as mudanças do mercado e do comportamento do consumidor, os varejistas vêm se reinventando a cada ano. Por isso, as tendências do varejo estão cada vez mais relacionadas ao uso da tecnologia para otimizar processos e melhorar a experiência do consumidor.

Segundo dados do estudo High Tech Retail, para os consumidores os benefícios no ambiente de compra são (84%) comodidade e (83%) economia de tempo. 

Esses são fatores proporcionados pela tecnologia, que facilita os processos de compra e torna a experiência mais prática. Ainda conforme a pesquisa, 80% dos entrevistados afirmam que passam a considerar mais as lojas que utilizam tecnologia, 79% passam a recomendar e 76% compram mais as marcas que investem em inovações tecnológicas.

Por isso, conhecer e entender as principais tendências e inovações do varejo é essencial para manter um relacionamento próximo ao consumidor e promover a fidelização.

Continue a leitura e entenda como é possível acompanhar de maneira eficiente as tendências deste mercado e 10 das principais expectativas do varejo para 2021.

Tendências do varejo: como acompanhar?

Você provavelmente já percebeu que acompanhar as tendências do varejo tem se tornado cada vez mais complexo, conforme temos mais informações e canais disponíveis à um clique.

Porém, ao mesmo tempo em que acompanhar tudo a todo momento não é viável e muito menos eficiente, quem atua no varejo precisa estar atento às mudanças que podem impactar seu negócio, a maneira de vender e atender seus clientes.

Com todos os obstáculos que o mercado enfrentou em 2020, e que ainda estão presentes em nosso cotidiano, entender como conquistar os clientes em um cenário de incertezas e garantir um crescimento saudável nas vendas exige atualização e busca por novas soluções constantemente.

Portanto, o primeiro passo para acompanhar as inovações do seu mercado sem se sentir perdido em meio ao grande volume de informações é saber filtrar e dar atenção apenas ao que é realmente relevante e necessário para seu negócio. A atenção e o tempo estão entre os principais recursos do nosso futuro.

Além disso, procure adaptar o consumo de conteúdos à sua rotina. Hoje contamos com diversos formatos e canais, basta entender qual melhor se adequa às suas preferências e cotidiano, e utilizar isso a seu favor.

Por fim, você pode clicar abaixo para conferir um infográfico gratuito com 10 dicas para acompanhar as tendências do varejo e novidades do seu mercado.

Dicas para acompanhar novidades e tendências do mercado

1 Transformação digital com as retailtechs

Entre as inúmeras tendências do varejo que surgem no mercado, as retailtechs têm um grande potencial para auxiliar a atuação dos varejistas além do e-commerce.

Estas startups vêm crescendo consideravelmente nos últimos anos, e foram ainda mais impulsionadas com as necessidades geradas pela pandemia. 

Conforme a pesquisa Inside Retailtech Report, realizada pela Distrito Dataminer e publicada pelo Consumidor Moderno, o investimento nas retailtechs triplicou nos dois primeiros meses de 2021, em comparação com o ano anterior.

A pesquisa mostra que janeiro e fevereiro de 2021 acumularam um movimento total de 194,3 milhões de dólares. Já no ano passado, o valor fechou em torno dos US$ 56,9 milhões. Além do claro crescimento exponencial, o número para o primeiro bimestre de 2021 é o maior nos últimos 10 anos.

Inside Retailtechs Report

Fonte: Consumidor Moderno | Inside Retailtechs Report – Distrito Dataminer

O que são as retailtechs e como elas contribuem com o varejo

Mas, o que exatamente são as retailtechs? As startups voltadas ao segmento do varejo são empresas que buscam realizar a transformação digital do setor, em diferentes áreas.

Apesar de ser o primeiro pensamento quando se pensa em tecnologia para o varejo, a atuação das retailtechs não se limita ao e-commerce. Confira as principais áreas de atuação destas startups:

  • Inteligência Artificial;
  • Pagamentos;
  • Engajamento e consumidor;
  • Sustentabilidade;
  • Internet das Coisas;
  • Operações;
  • Ambientes virtuais;
  • Logística;
  • E-commerce.

Segundo o estudo da Distrito, o Brasil conta com 748 startups voltadas ao varejo, das quais mais de 70% atuam nas principais lojas do país.

Inside Retailtechs Report – Distrito Dataminer

Fonte: Consumidor Moderno | Inside Retailtechs Report – Distrito Dataminer

2 Automação de processos com a Inteligência Artificial

A evolução das possibilidades que a Inteligência Artificial (IA) entrega surpreende. É possível utilizar os recursos de IA tanto nas vendas, como no atendimento, processos e gestão de estoque.

Tomando a gestão de estoque como exemplo, um dos caminhos que pode otimizar os processos do varejo é automatizar e centralizar as informações, evitando rupturas, excesso de volume no estoque e outros problemas comuns a esta área.

Com isso, é possível ter uma visão mais estratégica de métricas como os níveis ideais de produtos, e assim realizar investimentos mais assertivos.

Outra possibilidade da IA é o uso de assistentes virtuais no atendimento ao cliente. Desde que isso seja feito com foco na experiência do cliente, suas lojas tendem a ganhar ainda mais eficiência e podem desenvolver um atendimento mais otimizado.

3 Aposte em um novo ecossistema de pagamentos

tendências do varejo

Empresas que ainda não se adequaram à pelo menos parte do novo ecossistema de pagamentos que temos à disposição, estão certamente perdendo vendas. O consumidor atual busca agilidade e praticidade, e isso reflete na hora do pagamento.

O avanço das fintechs tem contribuído para a digitalização dos meios de pagamento, a partir de soluções como as carteiras digitais, cartões pré-pagos, sistemas de cashback, gift cards, biometria e pagamentos por aproximação.

Além disso, o lançamento do PIX pelo Banco Central ampliou ainda mais este cenário. Esse meio de pagamento teve uma rápida adoção e hoje já representa a maioria das transferências bancárias, quase 80%, principalmente entre pessoas físicas por sua simplicidade e custo zero.

Porém, o varejo ainda não adotou fortemente essa novidade, e são poucas as lojas e varejistas que aceitam Pix como meio de pagamento, conforme notícia da Valor Investe.

A expectativa é de uma mudança nesse cenário, com algumas empresas utilizando o "Aceitamos Pix" como um diferencial no processo de vendas.

Com essas tecnologias, a tendência do varejo é que o Open Banking continue trazendo mais possibilidades para melhorar o relacionamento das lojas com seus clientes.

4 O reconhecimento facial também está entre as tendências do varejo

As tecnologias de reconhecimento facial não só aumentam a segurança, evitando fraudes e crimes dentro dos ambientes físicos, como também proporcionam uma experiência mais personalizada para o cliente.  

Como você verá mais à frente com as estratégias omnichannel, a integração entre os meios físico e digital deve ser explorada para estimular a fidelização dos clientes.

Ao ser aplicado nas lojas, o reconhecimento facial permite que a equipe de atendimento reconheça o cliente, tenha acesso aos dados já disponibilizados e atenda melhor às suas necessidades, de maneira customizada.

Contudo, ao buscar por uma solução como essa, é preciso reforçar o cuidado às preocupações legais e de privacidade dos dados.

5 Transformar o Ponto de Venda (PDV) em Ponto de Experiência (PDE)

O termo Ponto de Venda (PDV) é um dos mais utilizados por qualquer profissional envolvido com o varejo. Mas, você já ouviu falar do Ponto de Experiência (PDE)?

Conceitos como User Experience, Customer Centric e Customer Success evidenciam a necessidade de planejar estratégias com foco no cliente e otimizar sua experiência de compra e contato com a marca.

Nesse sentido, estamos vivenciando uma transição do tradicional PDV para o PDE, ou seja, promover não apenas a compra de um produto, mas sim uma experiência inesquecível durante esta compra, encantar o público em todos os momentos e contatos com a empresa.

O PDE é onde as tendências do varejo, demandas do consumidor e fusão de canais físicos e digitais convergem para oferecer uma experiência mais completa. 

Resumindo o que já abordamos neste artigo sobre Ponto de Experiência, entre as principais características e propostas do PDEs estão:

  • A percepção de valor do conceito e da marca como foco principal;
  • Redução do tempo de resposta e dos empecilhos no processo de compra;
  • Junção de canais físicos e digitais para a oferta de um atendimento homogêneo e omnichannel;
  • Adoção de tecnologias e inovações para aprimorar o atendimento;
  • Fortalecimento do relacionamento com o consumidor.

6 Omnichannel: integre seus canais de comunicação e pontos de contato

Ao longo deste artigo já citamos o omnichannel, mas é preciso dar uma atenção especial a este ponto.

Em 2020 o e-commerce se consolidou entre as preferências do consumidor, e na futura retomada das atividades nas lojas físicas, proporcionar a mesma experiência do ambiente digital será essencial.

Isso significa que além de estar presente nos dois meios - físico e digital - ao mesmo tempo, eles devem fazer parte de uma só estratégia.

Um bom exemplo prático de estratégias omnichannel é permitir que seus clientes comprem na loja digital a qualquer momento e busquem seus produtos na loja física. Além disso, a mesma informação encontrada em um ponto de contato deve estar disponível no outro.

7 Utilize a Realidade Aumentada (RA)

Os recursos de Realidade Aumentada possibilitam a combinação de elementos do mundo virtual com o real, dentro da sua loja. Esta é uma das tecnologias que mais contribui para encantar o cliente, e proporcionar uma melhor experiência de compra.

Porém, as vantagens não se limitam a isso. Utilizar a Realidade Aumentada também ajuda a otimizar o tempo de compra, e portanto, reduzir custos.

A Tok&Stok, por exemplo, desenvolveu um aplicativo de Realidade Aumentada, o TokStok DecoRA, para que seus clientes possam visualizar os móveis em espaços reais e vazios.

Outro case é da Lukscolor, que disponibiliza em sua loja virtual uma função para adicionar a foto do ambiente da casa que receberá a pintura. Com isso, um simulador aplica a cor desejada na área escolhida pelo cliente para proporcionar uma visualização do resultado antes da finalização da compra.

8 Shop streaming

O shop streaming é, basicamente, uma transmissão ao vivo que estimula a interatividade com os clientes, e proporciona maior engajamento e humanização.

Assim, o varejo pode realizar vendas através das transmissões, desenvolver ações para integrar a loja física e fortalecer seu relacionamento com os clientes. Esta é, inclusive, uma maneira de promover o BOPIS.

Buy online, pick up in-store

O BOPIS, que traduzido significa “compre online, busque na loja”, é um método que dá mais comodidade ao consumidor, ao mesmo tempo em que reduz os custos de logística e entrega do varejo.

Desta forma o varejista também ganha mais tráfego em sua loja física e gera mais oportunidades de venda.

Utilizar o BOPIS também permite aumentar seu portfólio de produtos, já que assim os itens não disponibilizados na compra online devido à algum impeditivo na entrega podem ser comercializados.

9 Aposte também no Ship from Store (SFS)

O SFS surgiu como um processo de atendimento onde a empresa conta com o estoque da loja física para realizar a distribuição dos produtos comprados virtualmente de uma maneira mais otimizada conforme a sua necessidade.

A partir do momento da compra, o consumidor escolhe entre a retirada na loja ou o recebimento do produto em casa. Com isso, o sistema SFS considera quais são as opções mais próximas do destinatário para atender sua demanda.

Um sistema como este ajuda a evitar falhas na logística e otimiza o processo de entrega, influenciando diretamente na satisfação do cliente.

10 Sua logística precisa acompanhar as tendências do varejo

Tendências do varejo

Isso nos leva a um outro ponto: a importância de adequar a sua logística para acompanhar essas tendências do varejo.

Conforme o site Risnews, 71% dos varejistas citam a “falta de visibilidade do estoque em tempo real” como a principal dificuldade em suas cadeias de suprimentos e fator que reduz a produtividade.

Pensando nisso, uma tendência que vem ganhando mais destaque é a experiência de entrega, que envolve questões como o frete grátis, entrega no mesmo dia e processo de devolução facilitado.

A expectativa é que os varejistas passem a investir mais nas operações internas e externas de suas cadeias logísticas, como no gerenciamento de estoque, distribuição, rastreamento e entrega.

Quais dessas tendências já são realidade no seu negócio?

Estudar tendências não se trata apenas de conhecer as inovações do mercado, mas também de entender como aplicar os novos conceitos no seu negócio, adaptando para a sua necessidade e realidade.

Portanto, não deixe de avaliar como o uso das novas tecnologias pode contribuir com as suas vendas e melhorar o relacionamento com seus clientes.

Lembre-se de colocar o consumidor no centro das estratégias e proporcionar uma experiência integrada entre os diferentes canais.

Esperamos que este artigo tenha dado bons insights a você. Para conferir outras tecnologias e tendências do varejo para os próximos anos, clique abaixo e faça o download gratuito do nosso infográfico:

Tecnologias que prometem impactar o mercado de marketing, vendas e varejo nos próximos anos.


Leia também

Seja cliente Aqua

Faça como algumas das maiores empresas do Brasil. Use soluções da Aqua para inovar, reduzir custos, atender melhor e vender mais.